14 de dezembro de 2017

Palestra: O Poema Épico de Beowulf

No próximo sábado, 16/12/2017 ocorrerá a palestra de encerramento do I Ciclo de Palestra sobre Fontes Medievais, promovido pelo LEM – Laboratório de Estudos Medievais, que será proferida pelo acadêmico Vinícius Tivo Soares. Trata-se de uma discussão introdutória acerca do poema épico Beowulf, tema de sua Pesquisa de Iniciação Científica. Local: Bloco H-35 – Sala 07 (auditório do CCH). Horário: 13.30.

7 de dezembro de 2017

Palestra: A vida cotidiana dos camponeses nos calendários agrícolas medievais


No próximo sábado, 09/12/2017, acontece mais uma palestra do I Ciclo de Palestra sobre Fontes Medievais que será ministrada pelo professor Dr. Jaime Estevão dos Reis. A palestra será no bloco H-35Sala 7 (Auditório) na Universidade Estadual de Maringá e tem por tema a vida cotidiana dos camponeses nos calendários agrícolas medievais. O protagonismo do camponês nos calendários agrícolas medievais é uma consequência lógica de uma época em que o "tempo agrário" e os ciclos vegetativos regulam a vida dos homens. 

30 de novembro de 2017

Palestra: A guerra nas Crônicas Castelhanas do século XIII


No próximo sábado, 02/12/2017, acontece mais uma palestra do I Ciclo de Palestra sobre Fontes Medievais que será ministrada pelo doutorando Prof. Me. Augusto Moretti. A palestra será no bloco H-35, Sala 7 (Auditório) na Universidade Estadual de Maringá e tem por tema a guerra a partir das crônicas castelhanas do século XIII.

20 de novembro de 2017

Palestra: As corporações de ofício na Idade Média

No próximo sábado, dia 25/11/2017, acontece mais uma palestra do I Ciclo sobre Fontes Medievais, no bloco H-35Sala 7 (Auditório) da Universidade Estadual de Maringá, ministrada pelo graduando Elizandro Chaves. Temática: Corporações de Ofício na Idade Média. 

A partir do século XI a Europa teve retomado o crescimento das cidades. Nesses ambientes se desenvolveram formas de organização do trabalho diferentes das que caracterizaram o feudalismo, mas não totalmente desligadas dele. A produção de artigos artesanais para a comercialização em ampla escala, organizada por uma mão de obra especializada constitui um fenômeno notável nesse contexto. A organização dessas relações sociais e de trabalho das urbanidades seria expressa pelo desenvolvimento de instituições formadas pelos grupos produtivos, as chamadas corporações de ofícios. Tendo feito parte de um contexto notável na transformação de relações de produção da Europa, as corporações, bem como o que elas representam, suscitam diversos debates nos campos das ciências sociais. A composição social, as características dos grupos que as formavam e as sociabilidades estabelecidas pelos grupos trabalhistas; as formas do corporativismo e sua atuação na formação de um mercado capitalista; as relações de poder entre instituições que organizaram o mundo do trabalho e os interesses dos demais poderes seculares ou religiosos serão alguns dos temas tratados na palestra, destacando-se os principais conceitos e linhas interpretativas sobre o fenômeno corporativo, bem como mediante a análise da documentação disponível para a pesquisa.

15 de novembro de 2017

XVI Jornada de Estudos Antigos e Medievais

Entre os dias 23 e 24 de novembro de 2017, acontece na Universidade Estadual de Maringá a XVI Jornada de Estudos Antigos e Medievais, organizada pelo Grupo Transformação Social e Educação na Antiguidade e no Medievo.

Este ano, a temática do evento é "Antiguidade e Medievo: Intelecto, Liberdade e (Pré) Conceitos". Estão abertas até o dia 17/11/17 as inscrições para participantes como ouvintes. Para maiores informações acesse o site do evento.

13 de novembro de 2017

Palestra: O rei e a nobreza na Crónica de Alfonso X

Neste sábado, 18/11/2017, acontece mais uma palestra do I Ciclo sobre Fontes Medievais, no bloco H-35, Sala 7 (Auditório) da Universidade Estadual de Maringá, ministrada pelo doutorando Me. Luiz Augusto Oliveira Ribeiro.

As crônicas medievais têm despertado o interesse de vários historiadores, além de pesquisadores de diversas áreas do conhecimento como letras, artes, filosofia e educação. Dentre os pesquisadores do medievo, a crônica se constitui um gênero importante para análise da História Política, Social e Econômica da Europa Medieval, em especial o caso da Península Ibérica. Tomaremos como objeto a Crónica de Alfonso X, escrita por volta do ano de 1344 no reino de Castela e Leão, a fim de estabelecer e delimitar algumas das formas de abordagens e análises desta tipologia documental para a História, considerando suas especificidades teórico-metodológicas a fim de compreender, a partir da fonte, as relações existentes entre o rei e a monarquia. 

5 de novembro de 2017

Palestra: As Cantigas de Santa Maria, de Dom Alfonso X: Texto e Iluminuras

Em continuidade ao I Ciclo de Palestras sobre Fontes Medievais, acontece no próximo sábado, dia 11/11/2017, no bloco H-35, Sala 7 (Auditório) da Universidade Estadual de Maringá - Campus Sede, a palestra do Mestrando Prof. Carlos Henrique Durlo (PLE/ UEM).

Esta palestra tem por objetivo apresentar as Cantigas de Santa Maria, de Dom Alfonso X, o Rei Sábio.  Rei de Castela e Leão, Dom Alfonso X compilou em seu scriptorium uma das obras mais importantes do século XIII, as Cantigas de Santa Maria. Composta por 420 cantigas, acompanhadas de partituras e iluminuras, a obra aborda temáticas diversas do cotidiano medieval e, de forma particular, os milagres atribuídos à Virgem Maria no intuito de divulgação e ampliação do culto marial, visando à evangelização dos fiéis. Nos textos poéticos do cancioneiro religioso alfonsino, encontramos numerosas referências pessoais acerca do Rei Sábio, revelando fatos de sua vida, por vezes íntimos, como podemos observar na prece de cura que o monarca faz à Virgem Maria, no leito de morte, expressa na cantiga 209: Como el Rey Don Affonso de Castela adoeceu en Bitoria e ouv’ há door tan grande que coidaron que morresse ende, e poseron-lhe de suso o livro das Cantigas de Santa Maria, e foi guarido. O espaço sagrado torna-se fundamental e determinante para a ação das personagens das cantigas, considerando que os milagres e as curas sempre ocorriam em locais específicos, como as igrejas, capelas de convento e santuários. Mesmo sem sair do território espanhol, Alfonso X registrou no cancioneiro fatos miraculosos ocorridos em território português, como é o caso dos milagres narrados acerca de Terena e Monssarraz.  Desse modo, O cancioneiro mariano do Rei Sábio possui uma estrutura peculiar, única, apresentando teor narrativo baseado em fontes antigas e diversas, no qual recolhe das culturas francesas, latinas, ibéricas e da tradição oral, milagres, lendas, louvores e ladainhas à Virgem Maria.

1 de novembro de 2017

Laboratório de Estudos Medievais tem nova integrante

A Professora Dra. Marcella Lopes Guimarães, da Universidade Federal do Paraná é a mais nova integrante do Laboratório de Estudos Medievais, da Universidade Estadual de Maringá.

Marcella possui graduação em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1995), mestrado em Letras (Letras Vernáculas) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999) e doutorado em História pela Universidade Federal do Paraná (2004).

Atualmente é professora Associada I da Universidade Federal do Paraná e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em História da UFPR. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Medieval, atuando principalmente nos seguintes temas: história medieval, península ibérica, história cultural, literatura portuguesa e crítica literária.

21 de outubro de 2017

Palestra: A Batalha de Hastings nas fontes anglo-normandas do século XI

Dando continuidade ao I Ciclo de Palestras sobre Fontes Medievais, acontece no próximo sábado, dia 28/10/2017, no bloco H-35/ Sala 7 da Universidade Estadual de Maringá - Campus Sede, a palestra do doutorando Me. Lucio Carlos Ferrarese.

Esta palestra tem por objetivo analisar o desenvolvimento das táticas, técnicas e armamentos usados em batalha durante o século XI quando da ocorrência da Batalha de Hastings de 1066. Nesta referida batalha, forças invasoras normandas, influenciadas pelo estilo de guerra continental, lutaram contra forças defensoras inglesas, influenciadas pelo tradicional estilo germânico de guerra, o que levou a diferentes formas de ação durante a batalha bem como uma composição diferente dos exércitos que se enfrentaram, dirigindo-se à vitória dos invasores.Para a análise do combate e dos equipamentos, utilizamo-nos de duas fontes contemporâneas ao evento, a Tapeçaria de Bayeux e a Crônica de Guilherme de Poitiers, concomitantemente analisadas com a historiografia pertinente, como Norman Knight, de Christopher Gravett, Medieval Military Technology, de Kelly DeVries e Robert Douglas Smith, e Armas e Técnicas bélicas de los caballeros medievales de Martin J. Dougherty. Propomos que a evolução técnica adotada pelos normandos no continente permitiu sua vitória diante dos defensores ingleses, que lutavam em terreno vantajoso e em seu próprio reino.

25 de setembro de 2017

Palestra: O Saltério de Lutrell

A segunda palestra do I Ciclo de Palestras Sobre Fontes Medievais acontece neste sábado, dia 30/09/2017, no bloco H-35/ Sala 2 da Universidade Estadual de Maringá - Campus Sede, ministrada pelo graduando Giovanni Bruno Alves, tem por temática o Saltério de Lutrell e o trabalho com as imagens.

Na presente palestra apresentamos uma análise referente à imagem da nobreza no Saltério de Luttrell, um manuscrito iluminado inglês, produzido no século XIV sob o patronato de Sir Geoffrey Luttrell (1276-1345). O século XIV foi caracterizado por muitas mudanças econômicas e culturais, que impactaram o universo da nobreza. Sir Geoffrey Luttrell foi um desses nobres, cavaleiro e barão inglês, proveniente de Irham, e esteve diretamente presente nas páginas de seu saltério, além de tê-lo pago. As imagens referentes à sua vida e à daqueles que viviam ao seu redor, assim como ao seu universo mental, permeiam as páginas do Saltério e nos possibilitam um estudo dos símbolos, valores e práticas culturais da nobreza no período analisado.